Ji-Paraná: Polícia Civil deflagra Operação Strelow

Nesta terça-feira, 19.04, a Polícia Civil deflagrou em Ji-Paraná a Operação Strelow com intuito de investigar o crime de homicídio qualificado que vitimou Alessandro Santos Carvalho e outros delitos.

As investigações já coletaram provas inequívocas indicando o autor do crime. Ainda se constatou uma trama para manter sua impunidade, onde um menor de idade da mesma família assumiria a autoria do delito, combinada com uma coação no curso do processo às demais testemunhas, tentando inviabilizar as averiguações que poderiam esclarecer o crime.

Durante as investigações do referido homicídio foi identificado uma organização criminosa com alguns familiares de mesmo sobrenome e outros integrantes cujo grupo que vem cometendo vários crimes em Ji-Paraná, entre eles homicídios,  tráfico ilícito de entorpecentes,  corrupção  de menores, roubos, furtos, receptação, coação à testemunhas, entre outros.

Após identificados os membros da organização criminosa, bem como se individualizados os crimes praticados por eles, representou-se por prisões  cautelares e por mandado de busca e apreensão domiciliar, o que foi deferido pelo Poder Judiciário.

Montou-se uma força tarefa com policiais civis de Ji-Paraná das 1ª e 2ª DPC, DEAM e Delegacia Regional, comandados pelo Delegado Titular da 2ªDP, Dr. Rildo Maciel, para cumprimento dos mandados de prisões cautelares e mandados de busca e apreensão domiciliares em desfavor dos investigados.

Foram cumpridos cinco mandados de busca e apreensão e cinco mandados de prisão, sendo um por prisão preventiva e quatro por prisão temporária.

Durante os cumprimentos de busca e apreensão domiciliares foram localizados e apreendidos balança de precisão, objetos de origens duvidosas, dinheiro em espécie e produtos utilizados na preparação de entorpecentes.

A partir de agora a investigação inicia uma nova fase, com novo processamento de informações, perícias, coletas de oitivas e interrogatórios para finalizar a investigação do homicídio e demais crimes do grupo criminoso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *