DEPOM: “OPERAÇÃO VARREDURA II”

Polícia Civil, através de Depom, deflagra Operação “Varredura II” em Porto Velho

A Operação “Varredura” desencadeada pela Polícia Civil, através do Departamento de Polícia Metropolitana (Depom), nesta quarta feira-feira (27/05), em Porto Velho/RO, é a segunda etapa de uma série de ações que serão desencadeadas por esta Instituição visando reduzir o narcotráfico nesta capital.

Para realização da operação a Polícia Civil identificou pontos de comercialização de drogas em Porto Velho e solicitou ao Juízo competente vários mandados de busca e apreensão, os quais estão sendo cumpridos paulatinamente.

Na Operação Varredura I, ocorrida no sábado (09/05), foram cumpridos 10 mandados de busca e apreensão. Nesta segunda fase foram cumpridos 18 mandados de busca.  Esta ação está sendo desencadeada em etapas devido o grande número de bocas de fumo existentes em Porto Velho.

Desta vez foram tirados de circulação seis suspeitos, os quais foram flagranteados pelos crimes de porte de arma de fogo, posse de arma e munições e tráfico de drogas. O indigitado Franquito Costa da Silva, além de ter sido flagranteado por tráfico, constava contra o mesmo um mandado de prisão em aberto.

Durante a operação foram apreendidas algumas porções de entorpecente e apetrechos utilizados no endolamento de drogas, além de 22 celulares, um tablet, um notebook, 35 munições e dois revólveres, sendo um calibre 32 e um calibre 38. Este último do acervo da Segurança Pública.

Participaram da ação aproximadamente 50 policiais civis (delegados, agentes e escrivães), lotados no Departamento de Polícia Metropolitana (Depom) e Departamento de Narcóticos (Denarc).

O Delegado Geral de Polícia Civil, Pedro Mancebo, informou que a Polícia Civil, através do Denarc e de outras delegacias, já atuava no fechamento de bocas de fumo, mas agora o trabalho está sendo intensificado por esta instituição através da integração entre os Departamentos da PC, visando combater a venda de drogas e a identificação dos fornecedores, buscando reduzir a oferta de entorpecente no mercado e minimizar a criminalidade.

Fonte: ASCOM/PC