MACHADINHO: PC ELUCIDA BÁBARO HOMICÍDIO

Polícia Civil de Machadinho do Oeste com apoio da Polícia Militar elucida homicídio bárbaro

 

No último dia 30 de julho, a Polícia Civil de Machadinho do Oeste/RO recebeu notícia de crime de  homicídio qualificado e ocultação de cadáver ocorrido na zona rural daquele município, conforme ocorrência registra da DP.

A vítima Elier Vaz da Silva estava desaparecido há aproximadamente dois meses. No dia 30/07/2015 sua ex-mulher JOSEFA VERONICA OLIVEIRA VERISSIMO compareceu à delegacia e informou que o “desaparecido” havia sido vítima de homicídio cometido por Esmeraldo Ferreira da silva, vulgo “NENÊ”. Segundo Josefa, “NENÊ” matou a vítima a pauladas e mediante ameaças de morte, coagiu o próprio filho e Elier e o sobrinho a enterrar o corpo nos fundos de um sítio.

De imediato a equipe chefiada pelo Delegado Sérgio Toma, com apoio do Delegado Regional de Jaru, Thiago Flores,  e o serviço reservado da Polícia Militar de Machadinho do Oeste, iniciaram as diligências para confirmação do fato e identificação de autoria.

Em entrevista com EDSON OLIVEIRA VAZ (filho da vítima), esse indicou o local onde ELIER estava enterrado, o  Delegado Sérgio Toma e sua equipe compareceu ao local indicado e confirmou a veracidade das informações. O corpo estava realmente enterrado no ponto indicado e já em estado de putrefação. O local foi periciado e o corpo encaminhado ao IML de Ariquemes.

Edson, filho da vítima, disse que  seu genitor foi morto a pauladas por “NENÊ” dia 02/06/2015.  Ocorre que a equipe de investigação não acreditou de pronto na versão apresentada pelos familiares da vítima e decidiram ir à fundo nas apurações, e os fatos foram esclarecidos, a  verdade veio à tona.

O filho da vítima, EDSON OLIVEIRA VAZ  acabou por confessar o homicídio em coautoria com o vulgo “NENÊ”, namorado de sua mãe, JOSEFA VERONICA DE OLIVEIRA VERISSIMO.

Segundo apurado, a vítima fora golpeada por um bastão de ferro (bengala de motocicleta) na cabeça enquanto dormia desferido por seu filho EDSON. Algum tempo depois, o vulgo “NENÊ” ao perceber que a vítima ainda estava viva desferiu mais golpes, com o mesmo bastão de ferro, na cabeça e ainda cortou o pescoço de ELIER com um facão.

Após o hediondo crime, EDSON e “NENÊ” amarraram o corpo e o arrastaram com a ajuda de um cavalo até o local onde seria enterrado, fundos do sítio da vítima.

Um adolescente que foi ouvido confirmou que testemunhou a execução e ajudou a enterrar o corpo. Disse ainda que o homicídio fora planejado por JOSEFA e o vulgo “NENÊ”.
A equipe da Polícia Civil de Machadinho, apesar de contar apenas com um Agente de Polícia e um  escrivão, além do Delegado, trabalhou diuturnamente para solução do caso que culminou com a prisão dos três envolvidos e o indiciamento deles pelos crimes de Homicídio Qualificado e Ocultação de Cadáver, que, somadas as penas, pode acarretar mais 30 anos de prisão na condenação.

Fonte: ASCOM/PC/RO