Mirante da Serra: Polícia Civil desvenda homicídio e prende suspeito

Mirante da Serra: Polícia Civil desvenda homicídio e prende suspeito

Na noite do dia 09.02, dois homens chegaram ao estabelecimento denominado “Bar do Nelson”, localizado em Mirante da Serra, quando repentinamente um deles atacou, com vários golpes de faca, a vítima Adevalci Pereira, também conhecido como Cizinho, o qual já se encontrava no local há alguns instantes. A vítima foi socorrida até o hospital, mas não resistiu aos ferimentos e veio a óbito.

Ao tomar conhecimento dos fatos a Polícia Civil em Mirante da Serra iniciou as investigações, desencadeando as diligências iniciais para descoberta da autoria do crime.

Nas primeiras 48 horas a autoria foi elucidada, identificando-se o suspeito Paulo Henrique Silva Fagundes. Diante dessa informação, o Delegado de Polícia, Dr. Júlio César Souza Ferreira, representou pela prisão temporária ao Juiz de Direito da Vara Criminal de Ouro Preto, Dr. Haruo Mizusaki, o qual expediu a ordem de prisão.

O suspeito estava foragido desde a data do fato e na noite de ontem (15.02) foi localizado por policiais civis os quais diligenciavam na sua captura.

Ao ser preso o suspeito disse que ainda mataria outras duas pessoas. Durante o interrogatório alegou ter dito isso apenas por ímpeto. Ao ser interrogado o suspeito confessou a prática do crime, dando detalhes sobre a execução.

Segundo levantamento, o suspeito já cumpria medida sócio educativa por ato infracional análogo ao crime homicídio, por já ter executado uma pessoa em 2015, também a facadas.

Durante o processamento dos trabalhos de interrogatório, indiciamento e cumprimento do mandado de prisão, o suposto autor do homicídio ainda foi reconhecido por uma vítima de roubo como um dos autores, na ocasião o que estava com a faca em punho e ameaçando-a.

A investigação prossegue para identificar o segundo envolvido e Paulo Henrique será encaminhado à Casa de Detenção em Ouro Preto do Oeste, onde permanecerá recolhido à disposição da justiça.

 

A foto é divulgada no sentido de oportunizar vítimas e testemunhas de crimes para reconhecer o investigado. Em caso de reconhecimento devem se dirigir até a Delegacia de Polícia onde tramita seu caso.