NOVA BRASILÂNDIA: PC REALIZA PALESTRA

Polícia Civil de Nova Brasilândia d’Oeste realiza palestra intensificando o “Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes”.

 

O dia de 18 maio é marcado por uma mobilização em toda a sociedade brasileira, visando conscientizar e convocar todos a participarem do Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. A data foi escolhida em razão da morte de uma menina de oito anos (08), Araceli, que foi espancada, estuprada, seviciada, drogada e morta numa orgia de drogas e sexo, em Vitória-ES.

Levando em consideração o papel fundamental da Polícia Civil nesta luta, o Agente de Polícia, Gideoni Brito, lotado na delegacia de Nova Brasilândia D’Oeste/RO, ministrou palestra na Escola Estadual Rocha Pombo. Na oportunidade o policial falou sobre a importância do tema, explanando sobre as diferença do abuso e a exploração sexual, formas de prevenção, assim como os canais disponíveis para denúncia. Enfatizou a importância da data, uma vez que visa relembrar a deplorável prática criminosa contra crianças e adolescentes.

Segue orientações oriundas do panfleto da Campanha Nacional:

Tipos de violência:

  •     Abuso Sexual: é quando um adulto usa uma criança ou adolescente para sentir prazer sexual, independente de sua relação de parentesco ou não com a vítima.
  •     Exploração Sexual: é quando o adulto explora crianças e adolescentes através de relações sexuais, em troca de dinheiro, presentes ou favores.

Quais os direitos de quem sofre violência?

  •      Registro de ocorrência policial; inquérito policial;exame pericial junto ao instituto Médico Legal-IML;
  •      Assistência médica gratuita com indicação de contracepção de  emergência para evitar a gravidez indesejável;
  •      Exames para diagnósticos das Doenças Sexualmente Transmissíveis, Hepatites e anti-HIV;
  •      Aborto legal em caso de gravidez decorrente de estupro (código penal, Art. 128).

O que deve ser feito após a violência sexual e física?

  •      Não fazer higiene pessoal ( o banho anula as provas);
  •      Conservar as provas da violência (roupas, objetos);
  •      Registrar imediatamente a ocorrência em qualquer delegacia de polícia;
  •      Dirigir-se ao posto de saúde ou hospital mais próximo para receber atendimento gratuito pelo SUS.

Pistas para identificação da violência sexual no comportamento da criança adolescente:

  •      Mudanças extremas, súbitas e inexplicáveis no comportamento, apetite, na escola, no humor;
  •      Padrões de sono perturbados com pesadelos freqüentes;
  •      Regressão a comportamentos infantis;
  •      Interesse ou conhecimento não usuais sobre questões sexuais inapropriadas para a idade;
  •      Brincadeiras sexuais persistentes com amigos, brinquedos ou animais;
  •      Masturbar-se compulsivamente;
  •      Desenhos obscenos além de sua capacidade etária para a percepção do corpo;
  •      Timidez exacerbada;
  •      Autoflagelação;
  •      Tentativa de suicídio, depressões crônicas e até psicose;
  •      Prostituição;
  •      Envolvimento com drogas e alcoolismo;
  •      Conduta muito sexualizada;
  •      Gravidez precoce.

 

“ESQUECER É PERMITIR, LEMBRAR É COMBATER”

 

Texto: Rosilene Figueiredo
Fotos: Delegacia de Nova Brasilândia
Fonte: ASCOM/PC/RO

Marcações: