ARIQUEMES: PC DEFLAGRA OPERAÇÃO

Polícia Civil de Ariquemes, através da Delegacia de Homicídios, deflagra operação e prende dois supostos homicidas

Na sexta-feira (12/09) a Polícia Civil de Ariquemes/RO, através da Delegacia de Crimes Contra a Vida daquele município, cumpriu mandados de prisão temporária expedidos em face dos nacionais Abeu P.N., vulgo “Cabelo” e Luiz Carlos V., alcunha “Luiz Non”, suspeitos do assassinato de Pedro da Silva, 53 anos, o qual estava desaparecido desde o dia 29 de julho do corrente ano e acabou sendo encontrado decapitado no dia 1º de agosto.

Tão logo o homicídio chegou ao conhecimento da autoridade policial, uma equipe de policiais, sob o comando dos delegados Rodrigo Camargo e Ricardo Rodrigues, ambos daquela delegacia de homicídios, passou a investigar o caso.

Consta que o cadáver de Pedro foi encontrado na divisa de seu lote com o de “Cabelo”, sendo que um parente da vítima comunicou à polícia que encontrou uma foice com manchas de sangue em cima da caçamba de um caminhão pertencente àquele suspeito.
A equipe da Homicídios dirigiu-se ao referido lote e apreendeu a foice, encaminhando-a para perícia técnica, onde será feito o exame de DNA para constatar se o sangue confere com o da vítima.
Segundo apurou-se a motivação do crime foi vingança por parte de “Luiz Non”, uma vez que o Sr. Pedro havia colocado açúcar no motor do trator do mesmo e fundido o motor em represália a dívidas inadimplidas que “Luiz Non” possuía consigo, decorrentes de negociação envolvendo extração de madeira.  Irado, este e “Cabelo” mataram Pedro, decapitando-o.  A cabeça ainda não foi localizada.

Após levantamentos de materialidade do crime e diante de razoáveis indícios de autoria, os delegados representaram pela prisão temporária dos suspeitos acima mencionados, as quais foram de pronto deferidas pelo Juízo competente e cumpridas na manhã de sexta-feira (12) no município de Cujubim/RO.
A Polícia Civil continuará com as diligências no intuito de localizar a cabeça da vítima e comprovar a participação dos suspeitos no referido crime. Qualquer informação sobre o caso e os indigitados poderá ser passada pelo Disque-Denúncia da Polícia Civil, através do número 197.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *