Porto Velho: investigação aponta que ativista desaparecida foi assassinada. Crime teria ocorrido por descontentamento com acusação de furto em acampamento do MAB.

Na tarde desta sexta feira (15/01), a Polícia Civil prendeu o suspeito de assassinar Nilce de Souza Magalhães, ativista do MAB. Segundo o apurado, Edione Pessoa da Silva, 26 anos, confessou ter cometido o crime, no distrito de Nova Mutum-Paraná, localizado a 150 quilômetros de Porto Velho.
As buscas se iniciaram na terça-feira (12/01), após os amigos da vítima comunicarem o desaparecimento à Delegacia de Polícia em Nova Mutum-Paraná.
Segundo o Delegado Geral da Polícia Civil, Eliseu Muller de Siqueira, as varreduras foram realizadas pela 4ª Delegacia de Porto Velho, comandadas pelo Delegado de Polícia Sérgio Condeli. “Uma denúncia anônima ao 197, indicou o suspeito, quando complementamos as diligências e o localizamos. Ele confessou ter atirado na vítima”, explicou Siqueira.
O Delegado de Polícia Francisco Borges, da Delegacia Especializada em Crimes contra a Vida (DCCV), informou que o suspeito confessou o homicídio com uma espingarda calibre 20, cujo motivo seria uma acusação de furto no próprio acampamento do MAB, no distrito de Nova Mutum-Paraná.
O delegado disse também que o suspeito recebeu apoio de outros homens para esconder o corpo da vítima. “Estamos investigando quem teria auxiliado o suspeito a ocultar o corpo e onde estão os restos mortais. As diligências continuam”, relatou Borges.
O suspeito está recolhido na Penitenciária de Médio Porte (Pandinha).
A divulgação das imagens tem por finalidade auxiliar nas investigações permitindo que outras informações sejam repassadas à Polícia Civil, pessoalmente na Delegacia de Homicídios ou através dos canais de denúncia (telefones 197, 8418-7820 e e-mail 197@pc.ro.gov.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *