Vilhena: Polícia Civil conclui investigação de chacina na zona rural. Crime ocorreu em outubro de 2015.

Em 17 de outubro de 2015 cinco pessoas foram encontradas mortas na zona rural de Vilhena. Segundo o apurado a motivação criminosa foi decorrente de conflito agrário. O crime ocorreu logo depois da propriedade rural ter passado por uma reintegração de posse.

Homens armados chegaram atirando e em seguida colocaram fogo na casa onde quatro vítimas se abrigaram. Estas acabaram mortas carbonizadas. Um corpo foi localizado na mata. A sexta vítima sobreviveu, mesmo alvejada, totalizando cinco homicídios consumados e um homicídio tentado.

As diligências desenvolvidas indicaram a participação de cinco suspeitos, dos quais dois foram presos e os outros três continuam foragidos. Todos foram indiciados.

Com provas acerca do ocorrido a Polícia Civil representou ao Poder Judiciário pelas prisões dos envolvidos. Algumas prisões foram solicitadas e decretadas durante a própria investigação, outras no relatório final do inquérito policial que foi concluído em 03 de dezembro de 2015.

No dia 28 de outubro foi preso Eber Maciel da Costa. Em 16 de dezembro foi preso Edson Marcelino da Silva. Os outros investigados e indiciados são Ilario Daneli, Enilton Procópio e Marlos de Souza Cândido, os quais se encontram foragidos.

“Até o momento tentamos localizar os investigados visando cumprir as prisões. Não revelamos a conclusão da investigação, nem cada prisão realizada, pois poderia atrapalhar. A partir deste momento acreditamos que a população possa colaborar denunciando o paradeiro dos três que estão foragidos pelo disque denúncia”, informou o Delegado Regional de Polícia, Fábio Campos.

Durante as investigações a Polícia Civil conseguiu imagens de dois dos três foragidos, Enilton e Ilario, e as divulga com objetivo de que sejam presos e colocados à disposição da justiça.

A população pode informar o paradeiro dos foragidos através do Disque Denúncia pelo telefone 197 (gratuito), e-mail 197@pc.ro.gov.br, bem como pelo celular (69) 8418-7820 (whatsapp e telegram). Não é necessário se identificar.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *