Porto Velho: Polícia Civil deflagra Operação Octanagem

Nesta quinta-feira, 04.08, a Polícia Civil deflagrou a fase ostensiva da Operação Octanagem, tendo como objetivo precípuo a apuração de uma suposta organização criminosa dirigida para a subtração e comercialização de combustíveis fora dos padrões técnicos.

A investigação se iniciou com denúncia anônima por meio do telefone Disque Denúncia “197” dando conta que caminhões-tanque, após saírem carregados da base de distribuição, se deslocavam até uma chácara onde parte do combustível transportado era descarregado (subtraído), para posteriormente ser comercializado ilegalmente.

Diligências preliminares foram realizadas com o fim de verificar a procedência das informações, delineando envolvimentos e modus operandi.

Apurou-se que a ação contaria com a participação direta dos motoristas, os quais deveriam seguir, em tese, diretamente da base de distribuição para os postos de combustíveis.

Depois da subtração do combustível, os indícios são de que o mesmo volume era substituído por outro líquido, para a retirada não seja percebida.

Nesta etapa as diligências foram executadas com intuito de flagrar o esquema em funcionamento, angariar elementos de informação e ainda apreender documentos, instrumentos e arrecadar demais objetos que sirvam de prova à investigação, individualizando as práticas criminosas e autorias delitivas.

Os supostos crimes praticados são furto qualificado (art. 155, §4º, II e IV do CP), receptação (art. 180 do CP), crime contra a ordem econômica (art. 1º, I Lei 8.176/91), crime ambiental (art. 56 da Lei 9.605/98) e associação criminosa (art. 288 do CP).

Nesta fase da operação foram executados 7 mandados de prisão temporária, 8 mandados de busca e apreensão em residências, 5 mandados de busca e apreensão de veículos, sendo apreendidas 8 armas de fogo (5 espingardas e 3 revólveres), R$ 4.131,00 reais e aproximadamente 2500 lt de combustível e lavrados três autos de prisão em flagrante.

Para esta fase da operação a Polícia Civil contou com o apoio da ANP (Agência Nacional de Petróleo).

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *