Polícia Civil deflagra 2ª fase da Operação Assepsia no município de Ji-Paraná

A Polícia Civil do Estado de Rondônia por meio da Delegacia em Ji-Paraná, deflagrou nesta quinta-feira (23/03), a 2ª fase da Operação Assepsia. Durante a ação policial, três mandados de prisão e cinco de busca e apreensão foram cumpridos. Entre os presos esta um empresário local que de acordo com as investigações, este seria funcionário fantasma da Gerência Geral de Fiscalização (GGF) da prefeitura de Ji-Paraná. O acusado deve responder pelos crimes de peculato, falsidade ideológica e associação criminosa.

O trabalho investigativo da Polícia Civil constatou que um funcionário de carreira do setor de Fiscalização da Prefeitura de Ji-Paraná estava agindo em desfavor da administração pública dando total cobertura funcional para manter um empresário da região como funcionário ‘fantasma’. O servidor, utilizava de seu cargo para maquiar procedimentos e garantir a permanecia do empresário dentro da administração municipal. Vale ressaltar que o servidor também foi preso na operação desta quinta-feira.

Informações policiais revelam ainda que um profissional odontólogo negociava com o chefe da Gerência Geral de Fiscalização da Prefeitura, assim como, com o presidente do Sindicato de Servidores Municipais de Ji-Paraná a garantia da realização de seu trabalho, neste caso a promoção do tratamento odondológico, a todos os filiados, contudo de forma irregular. Os acusados foram presos preventivamente e aguardam a decisão da Justiça.

Histórico – 1ª fase da operação

Na 1ª fase da Operação Assepsia foram cumpridos nove mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão contra integrantes da diretoria do Sindicato dos Servidores Municipais de Ji-Paraná (Sindisem), incluindo o ex-presidente. Na época, o (ex) diretor de Arrecadação da Prefeitura de Ji-Paraná também foi detido. Os acusados integravam uma organização criminosa que teria, a partir de manobras fraudulentas e desvios de recursos, em cerca de dois anos de atuação, causado um prejuízo de R$ 500 mil ao sindicato Sindsem. Após a apreciação dos dados da primeira fase da Operação Assepsia, observou-se a necessidade do desdobramento da segunda fase realizada no dia de ontem pela Polícia Civil do Estado de Rondônia.

Imagem: site rodoniaovivo