Delegado-Geral da Polícia Civil explica os avanços no combate ao crime em entrevista

Rondonoticias: Doutor Eliseu, como tem sido o dia a dia da polícia? Como o estado tem prestigiado os policiais no efetivo combate ao crime?

Eliseu Muller: Na atribuição do policial, o que impera mais forte é o compromisso por parte daquele que exerce a atividade. Tem que ter amor e dedicação. É um sacerdócio. Há 24 anos eu estou nessa área e repito, tem que haver amor. A oferta do estado é uma oferta parcial. Eu sou um homem, indicado pelo governo, mas que cobro quando tem que cobrar. Nada é jogado para baixo do tapete.

Rondonoticias: Se nós traçarmos um paralelo, relativamente ao quadro de violência do ano passado para hoje, o que mudou?

Eliseu Muller: Por parte da polícia judiciária, houve um crescimento na atividade fim. Qual é a atividade fim? É a resolução dos casos, descobrir autoria, entregar inquéritos com provas robustas ao Ministério Público, entre outros. Então evoluímos muito nesse sentido, principalmente na região do Vale do Jamari, onde houve uma diminuição nos crimes mais graves. Obviamente que na Capital, em função da proximidade com o sul do Amazonas, onde existem muitos conflitos de terra, eles acabam registrando ocorrências em Extrema ou na própria Capital. Por conta disso, houve um certo aumento do crime, mas que não corresponde a realidade com os números que recolhemos do estado de Rondônia.

Rondonoticias: O senhor atribui então tal aumento as questões relacionadas aos conflitos agrários?

Eliseu Muller: Aqui em Porto Velho, especificamente, no que diz respeito aos crimes de morte, houve um certo aumento, mas em função desses crimes que não ocorrem em Rondônia. Eles aconteceram no sul do estado do Amazonas, mas o registro é feito, por exemplo, em Extrema, e acaba aparecendo no nosso sistema estatístico. A realidade é que conseguimos diminuir muitos crimes, em que pese o crescimento de roubos e violência doméstica.

Rondonoticias: Os crimes que cujos índices apontam aumento, seria crimes evitáveis?

Eliseu Muller: Sim, mas não é uma coisa imediata. Evita-se, tais crimes, com maior participação da prefeitura, com o governo do Estado fazendo o seu papel, com a polícia cumprindo fielmente seu dever, obviamente que diminui, e muito. Hoje, felizmente, essa integração entre os setores vem sendo instalada. Precisamos mais do judiciário e Ministério Público, integrados, para que tudo ande, inclusive o processo educacional. O investimento na educação é primordial para a diminuição de crimes, isso todo mundo está cansado de saber. Há, inclusive, projetos da Polícia Civil de aproximação com as escolas. Nós pecamos na não divulgação para a sociedade, mas por exemplo, a Polícia Civil está no Espaço Alternativo demonstrando o trabalho diário para a população, e isso ajuda muito na integração e melhoria das ações.

Rondonoticias: Como a polícia tem trabalhado com relação ação delituosa do menor ?

Eliseu Muller: Nós temos uma Delegacia Especializada que trata da apuração dos atos infracionais relacionados ao menor. É uma Delegacia muito atuante, que trabalha com prazos, até porque não é inquérito policial, e temos trabalhado com várias operações na intenção de coibir a ação dos adolescentes. A delegacia tem trabalhado de forma satisfatória o que demonstra muita efetividade.

Rondonoticias: Doutor Eliseu, temos visto em vários jornais eletrônicos da cidade manchetes relativas a crimes praticados, denominadas de ‘justiça com as próprias mãos’. Nesse sentido, a polícia tem estado vigilante?

Eliseu Muller: Bom. A polícia judiciária atua após o acontecimento do fato e a Polícia Militar está na rua para evitar que o crime ocorra. Ocorrendo o fato, na grande maioria das vezes, o fato é comunicado através de um registro de ocorrências, obviamente que nesses casos a polícia atua de forma efetiva. Hoje temos um sistema observatório criminal, que estamos terminando de implantar, através disto poderemos enxergar os locais onde mais ocorrem esses crimes, entre outros, e agir com mais eficácia e rapidez. São mecanismos que a polícia tem para operacionalizar as suas atividades. Isso nos dá grandes possibilidades de resoluções mais rápidas e maior satisfação da população.

Rondonoticias: Na esteira das suas colocações e a interação Polícia x Sociedade, como o policial vem sendo treinado para a modernidade e melhoria dessa parceria?

Eliseu Muller: A polícia de Rondônia é cidadã. A polícia do nosso Estado é uma das melhores do país. Temos uma Corregedoria que não registra envolvimento com organizações criminosas, corrupção, ou envolvimentos com bandidos. Isso nos coloca em um patamar elevado no que diz respeito à eficiência. A maioria dos registros é de indisciplina, e quando aparece grave, o agente policial é punido severamente ou até excluído da corporação.

Rondonoticias: Delegado, como está a resolução da questão da morte do prefeito de Candeias do Jamari, Chico Pernambuco?

Eliseu Muller: O inquérito foi instaurado e em praticamente dois meses nós apuramos e prendemos os executores e os co-autores, também abrimos uma investigação para apurar se houve a participação de mentor ou não. Tudo está em tramitação e em sigilosidade. A população terá uma resposta definitiva deste caso quando estiver totalmente esclarecido.

Rondonoticias: Mudando de assunto. Por que demoraram tanto para inaugurar as Unisp’s – Unidades Integrada de Segurança Pública? Já estão todas ocupadas?

Eliseu Muller: Unisp não é da Polícia Civil, não é da Polícia Militar, é administração da Secretaria de Segurança Pública. Toda obra pública tem seu problema, mas quero dizer que esse foi dos melhores programas do Governo Confúcio. Essa reestruturação física foi ótima para o bom andamento do sistema. O servidor público foi prestigiado com novas salas, mais modernas, e está satisfeito, melhorando assim o desempenho na função. Existe uma certa resistência, é óbvio que algumas pessoas resistem ao novo por acomodação, mas essa resistência se quebra no momento em que começaram a ocupar o espaço novo, este foi e é um grande projeto.

Rondonoticias: Doutor Eliseu, muito obrigado pela entrevista.

Eliseu Muller: Obrigado pelo convite. Nós da polícia não temos o costume de nos apresentarmos perante a sociedade, e talvez por isso, nos enxerguem com certa reserva, mas acredite na sua polícia. A polícia do nosso Estado é de excelência. Usem o 197 e nos ajudem a combater o crime. Obrigado.

Fonte: site Rondonoticias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *