Polícia Civil deflagra operação “Astúcia” e desarticula Organização Criminosa na região de Urupá

A Polícia Civil do Estado de Rondônia, por meio da Delegacia em Urupá, deflagrou nesta quinta-feira (24/05), a operação denominada “Astúcia” com objetivo de desarticular uma Organização Criminosa na região de Urupá. Ao todo foram expedidos e cumpridos 17 Mandados de Prisão e 12 Mandados de Busca e Apreensão. Entre os crimes praticados pela organização criminosa estão comercialização de entorpecentes e Associação para o Tráfico de drogas, Roubo de veículos, Residências e Comércios, furtos, Receptação e Porte Ilegal de Arma de Fogo. Durante a ação policial foram apreendidos entorpecentes, armas, munições e certa quantia em dinheiro.

A operação foi coordenada pelo Delegado da Polícia Civil, Ronaldo Carvalho Campos, com apoio do Diretor de Polícia do Interior (DPI), Arismar Araújo e do Delegado Regional de São Miguel do Guaporé, Fred Matos. Participaram da Operação mais de 50 policiais civis das cidades de Alvorada do Oeste, Ji-Parana, Ouro Preto, Presidente Medici, Cacoal, Nova Brasilândia, Costa Marques, São Miguel do Guaporé, Rolim de Moura, São Francisco do Guaporé e Urupá. A operação contou ainda com a parceria do Núcleo de Operações Aéreas (NOA) da Sesdec, que empregou um helicóptero em apoio no cumprimento das cautelares.

De acordo com informações policais, as investigações se iniciaram cerca de 2 (dois) meses sendo demonstrado que os investigados possuíam vínculo criminoso maior e mais articulado do que se imaginava de início, aos quais eram responsáveis em compor uma Organização Criminosa que atuavam nas cidades de Urupa, Alvorada do Oeste, Teixeiropolis, Mirante da Serra e São Francisco. Os líderes da referida ORCRIM, instigavam outros componentes para que esses viessem a cometer crimes patrimoniais (Furto e Roubo) a fim de angariar bens aos quais eram, posteriormente, trocados por entorpecente em grande quantidade e, em seguida, comercializado pelos envolvidos onde era feita a divisão do lucro obtido.

No lapso temporal ao qual perdurou à investigação foram recuperados 5 (cinco) veículos aos quais eram produtos de furto ou roubo, sendo 4 (quatro) motocicletas e 1 (um) carro de passeio. Foram, também, apreendidos vários invólucros de entorpecente com usuários de droga e instaurados 7 (sete) Termos Circunstanciados por posse de entorpecente. A Polícia Civil informa que foram solucionados mais de 20 (vinte) ocorrências de furto aos quais estão diretamente ligados aos envolvidos.

Foram durante a ação policial: Gilson Caldeira Silva, Ediane Penha do Nascimento (vulgo “Índia”), Marcos Antonio Marques (vulgo “chapolim”), Maria Bielink Correia (vulgo “gaucha”), Elizandro da Cruz Cagliari Santos (vulgo “Lizandro”), Orlando Cagliari (vulgo “Orlando carroceiro”), Rosevelt Ramilho Freira (vulgo “velt”), Ivan Flaides Trindade, Fagner Correia Rosa, (vulgo “caxinha”), Elivelton de Souza (vulgo “cabeção”), Elton Guerra (vulgo “Eltinho”),  Adriano Ventura e Silvio dos Santos Tretene (vulgo “silvingo”). Encontram-se foragidos outros 5 (cinco) suspeitos cujo a Polícia Civil continua a busca. Vale ressaltar que todos são tratados, até o presente momento, como suspeitos.

Operação

A denominação da operação leva em consideração o significado que é o mesmo que esperteza ou a habilidade da pessoa que não se deixa enganar com facilidade. “Astúcia” também pode ser usada como um termo pejorativo, no sentido de alguém que tenta se aproveitar de outro indivíduo para atingir um objetivo próprio. Neste aspecto, pode-se dizer6 que uma pessoa astuta é ardilosa, maquiavélica, traiçoeira e velhaca.

Esta palavra era utilizada pelo popular personagem televisivo Chapolin Colorado, interpretado pelo ator e escritor mexicano Roberto Gómez Bolaños, na frase icônica: “não contavam com minha astúcia”. Neste caso, a intenção do personagem era mostrar como as pessoas não suspeitavam da sua incrível esperteza. Por extensão, o significado de astúcia ainda pode estar relacionado com o comportamento da pessoa que é travessa, traquinas ou peralta.